3 formas de ser mais resolutivo frente à crise

A crise, causada pelo novo Coronavírus, se expressa também como uma crise de governabilidade, baixa resolutividade e pouca eficiência dentro das organizações de saúde. Nesta publicação aqui no Blog da Acredite, compartilharemos 3 formas para ser mais resolutivo durante a pandemia.

O momento atual tem impulsionado experiências inovadoras no que se refere ao desenho de novos processos de gestão e comportamento. No entanto, para que os processos de mudança aconteçam, é preciso contar com profissionais que estejam a favor destas transformações.

É compreensível que em uma situação de crise você não esteja com cem por cento da sua entrega. São tantas tarefas, cobranças, reuniões e, no meio do turbilhão de atividades, ter que ser mais resolutivo e pensar em soluções e ideias inovadoras para continuar enfrentando a crise é um desafio.

A utilização de ferramentas de gestão nas instituições de saúde promove aumento da eficácia, dinamicidade e resolutividade, frente a situações como superlotação. Assim como sugere maior satisfação dos usuários com o tempo de espera para atendimento de suas necessidades, se for administrado. Se sua instituição ainda não domina tais ferramentas, a oportunidade e solução está aqui.

Ainda assim, para que isso aconteça, você é essencial como agente de transformação e, para potencializar ainda mais essa eficiência nos processos, é necessário conceber e utilizar de conhecimentos e técnicas estratégicas.  

Ser mais resolutivo frente à crise

Listamos aqui oportunidades para você ser mais resolutivo (a) e se juntar ao time de solução no seu serviço: 

  • 1. Compartilhe ideias

Ter ideias solitárias costumam não funcionar bem. Boas ideias surgem da coalisão de palpites, segundo Steven Johnson, autor do best-seller “De onde vêm as boas ideias”. Pegar emprestado sugestões e comentários de outros e combinar com nossas próprias ideias resulta em algo maior. Você tem feito isso dentro da sua instituição de saúde e com seus colegas de trabalho?

Steve lembra que a invenção da lâmpada levou mais de 20 anos para ser desenvolvida e envolveu diferentes pessoas. Porque a gente acha que sozinho daremos conta de tudo, principalmente em momento de crise?  

  • 2. Inteligência emocional

Empreender é lidar com desafios, uns grandes e outros maiores ainda. Além de tudo, lidamos com pessoas de fora e de dentro da nossa casa; no caso, instituição.

Saber lidar com as emoções negativas (e positivas) é o caminho para entregar resultados sob pressão, liderar com eficiência e se destacar em um mercado em crise.

Em março de 2014, um voo com 49 pessoas, partindo de Petrolina com destino a Belo Horizonte teve problemas, era o voo 06 6393 da Avianca. O trem de pouso dianteiro não abriu e forçou o comandante Eduardo Verly a realizar aterrisagem de emergência em Brasília, onde teria conexão. Após comunicar calmamente a torre do aeroporto Juscelino Kubitschek, o piloto sobrevoou a cidade para gastar combustível e pousou a aeronave com todos os passageiros a salvo. A tranquilidade do comandante foi apontada como a principal justificativa para que o episódio não entrasse na lista de acidentes aéreos do país.

  • 3. Reúna dados

 De forma segura e ética, reúna dados dos seus processos, clientes/pacientes, colaboradores e do que estiver em seu alcance. Todas as informações mostram que a crise é muito pior do que o esperado, por esse motivo é necessário agir agora.

A ideia não é montar uma base de dados para controlar pessoas ou utilizá-los de forma irresponsável. Mas ter informações suficientes que apoiem os novos processos e projetos, que sustentem mudanças sugeridas e sejam benéficas para todos.


Adversidade gera sabedoria e essa pode ser a solução. Conte com a Acredite para pensar em soluções junto com você e sua instituição. Confira outras publicações aqui em nosso blog. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *